Seminário Continental para Formadoras e Formadores


Na cidade de Quito, Equador, nos dias 14 a 16 de julho de 2017, realizou-se o Seminário Continental para Formadoras e Formadores organizado pela CLAR. O mesmo contou com a participação de 110 Irmãs e Irmãos que acompanham diferentes processos formativos, vindos de 15 Conferências Nacionais do Continente Americano. Do Brasil participaram: Ir. Maria Alejandra Mancebo pela CRB-Nac, ir. Sirlei Cordeiro pela CRB-Curitiba e Pe. Enivaldo João Oliveira pela CRB-Belo Horizonte.
O tema:“Formadoras/Formadores entre culturas, começo espiritualidade e outros sinais de nosso tempo”, e o lema: “Sejam testemunhas e não só mestres” (Francisco) ajudaram a criar um espaço de busca, reflexão conjunta e socialização, compartilhando a vida e intercambiando ferramentas utilizadas no serviço de acompanhamento às novas gerações da Vida Consagrada. Logrou-se assim fazer destes dias um rico encontro intercultural gerador de vida, buscas e desafios.
O Seminário seguiu a metodologia: Ver – Discernir – Interagir e Celebrar e contou com as seguintes iluminações teóricas:

 “Realidade hoje e culturas juvenis” - Irmão Remberto Ortega Guizado, sdb
 A Palavra e o Espirito em processos formativos com traços intergeracionais e
reconhecimento do afetivo” – Irmã Glafira Jiménez.
 “Espiritualidade Trinitária e processos de formação com suas conquistas e vazios. ” – P.
Sergio Montes, sj.
Partilhamos a carta elaborada por participantes do Seminário como mensagem final a toda a Vida Religiosa: “Proclama a minha alma a grandeza do Senhor e o meu Espirito se alegra em Deus meu Salvador” (Lc 1)
A alegria de Maria, fruto da Anunciação recebida que a leva sair apressada ao encontro de Isabel, é a mesma que dinamizou nossa oração, reflexão e intercâmbio de experiências nestes dias e que queremos compartilhar com toda a Vida Consagrada.
Por isto, ao finalizar o Seminário Continental organizado pela Confederação Caribenha e Latino-americana para formadoras e formadores, nos sentimos com o compromisso de viver os desafios que o Espírito suscita em nós hoje: “Sejam testemunhas e não só mestres”, foi o lema que nos acompanhou e animou a escutar o contexto sociocultural que vivem nossos jovens, ambiente que interpela também nossas estruturas e estilos formativos.
Em diálogo com jovens em formação, e aprofundando nas culturas juvenis, voltamos a constatar o clamor por uma vida consagrada que viva em todas suas etapas as relações comunitárias desde a circularidade, que ofereça um testemunho de integridade, escutando e aprendendo constantemente desde o modo como Jesus acolheu aos mais pobres, vulneráveis e excluídos do seu tempo.

Acreditamos que isto implica de nós:
 Sermos pessoas acessíveis, fiáveis, próximas, que confiam nas novas gerações, reconhecendo que Deus caminha fazendo história com seu povo.
 Potenciar um discipulado de iguais onde se gere, sustenha e circule a vida.
 Deixar-nos conduzir pelo Espírito de Jesus para viver autênticos encrontros, que se nutrem nas relações intergeracionais, interculturais e intercongregacionais.
 Favorecer espaços comunitários onde se respeite a identidade, se acolha a diversidade e se vivenciem relações em reciprocidade, que encarnem a espiritualidade Trinitária que faz possível a comunhão no amor.
 Preparar-nos como formadores e formadoras para a Vida Consagrada que emerge e deixar-nos acompanhar em nossos processos pessoais, conscientes de nossa humanidade frágil e em caminho.
 Revisar e atualizar os itinerários formativos de maneira que favoreçam processos pessoalizados de acompanhamento: o contato com a realidade e o cuidado da criação;  e a integração da afetividade como expressão da ternura e a misericórdia de Deus para a humanidade.
 Assumir a responsabilidade que temos, com sentido de corpo, toda irmã e irmão nos processos formativos, desde um estilo flexível sem renunciar ao essencial. Com a certeza de que Deus nos ama e quer a plenitude de vida para todas e todos, agradecemos as palavras e experiências interculturais vivenciadas em nosso Encontro, 'luz do ícone da Visitação. Confiamos ao Espírito, busca e o desejo de uma vida Consagrada que seja anuncio e profecia para o mundo hoje.”

María Alejandra Mancebo,
Irmãs Oblatas do SS. Redentor