Papa Francisco participa da conferência mundial para a paz convocada pela universidade de Al-Azhar, no Egito

O papa Francisco, durante a viagem que fará ao Egito no próximo fim de semana, “usará um automóvel fechado, mas não blindado. Foi ele que quis assim”.

Afirmou o diretor da Sala de Imprensa da Santa Sé, Greg Burke, ao apresentar a jornalistas, na segunda-feira (24), a viagem a Egito nos dias 28 e 29 de abril.

Sobre a segurança, o porta-voz disse que “vivemos em um mundo onde este aspecto faz parte da vida”. E lembrou as medidas de segurança tomadas, ontem, na maratona de Londres.

“O papa, mesmo após os atentados recentes no Egito, confirmou sua vontade de visitar o país como sinal de proximidade” disse.

O papa vai participar durante a viagem, da conferência mundial para a paz convocada pela universidade de Al-Azhar.

Do Egito, os organizadores da viagem anunciam mudança de logística para a missa do Pontífice que será celebrada para a comunidade católica do país no sábado, 29 de abril, no Cairo. Segundo o bispo de Luxor e presidente do Comitê Organizador da visita, Dom Emmanuel Bishay, “de uma sala coberta próxima ao Estádio do Cairo se passou para o Estádio da Aeronáutica Militar”. Por ser um local militar, oferece mais garantias de segurança. E, por estar fora do centro da cidade, oferece também mais vantagens para mobilidade e estacionamento.

O Papa Francisco manterá sua viagem ao Egito, prevista para o próximo fim de semana, apesar dos atentados de domingo 9 de abril cometido pelo ISIS,contra duas igrejas coptas, que deixaram pelo menos 44 mortos e 100 feridos.

Fonte: ZENIT