Papa Francisco condena antissemitismo e apela para a não-violência ativa

Mais uma vez, o Papa Francisco condena antissemitismo como contrário aos “princípios cristãos”, ele defendia a educação para a não-violência ativa em resposta à violência atual e agradeceu ao ADL (Anti-Defamation League) precisamente para o seu trabalho nesta área educação. Ele chama para a ação conjunta contra o ódio, judeus e católicos, citando seus antecessores João Paulo II e Bento XVI. Este último afirmou, nomeadamente, que não se pode ser católico e antissemita.

O Papa recebeu uma delegação de trinta membros da organização judaica dos Estados Unidos Anti-Defamation League nesta quinta-feira 9 fevereiro, 2017 no Vaticano.

Esta visita foi colocada sob o signo da construção de pontes, como indicado pela ADL em sua conta no Twitter: “#ADLRomeMission que fortalecer as relações com @pontifex e a comunidade #Catholique. ”Eles citam o artigo de David Fox Sandmel em Tempos de Israel, que disse em parte: “Nós vamos a Roma para construir pontes.”

O texto do discurso de Papa Francisco pode ser encontrado em (http://press.vatican.va/content/salastampa/it/bollettino/pubblico/2017/02/09/0087/00213.html) em Inglês e Italiano, e em francês em (https://fr.zenit.org/articles/le-pape-francois-condamne-lantisemitisme-et-appelle-a-la-non-violence-active/).

Fonte: press.vatican.va